Skip to main content

Nós sabemos o que verdadeiramente significa uma visão holística, além de uma vaga ‘noção alternativa’, de todas as conexões que nos dão forma?

Acho que posso dizer que a visão holística é a visão macro, interligada e indivisível de cada parte do todo. A doença cardíaca é a principal causa de morte por doença entre homens e mulheres, o que torna imprescindível sabermos o que significa uma visão holística do coração.

Esse órgão localizado bem no centro esquerdo do nosso peito reage, a nível celular, ao que sentimos emocional e fisicamente. Ele e a sua fisiologia estão fortemente envolvidos em quase todas as escolhas que fazemos, porém um número ínfimo de pessoas tem a real consciência disso.

Achamos que os exercícios aeróbicos da academia dão conta do nosso coração, porém a sua saúde está ligada a cada pensamento, palavra e escolha. A ansiedade e a depressão estão ligadas ao aumento do risco de ataques cardíacos induzidos pela atividade física, porém níveis altos de emoções positivas diminuem drasticamente esse risco.

Para a abordagem holística, o órgão físico é apenas uma parte da história. A outra parte diz respeito às atitudes, reações e a concepção de vida da pessoa. Sem o desenvolvimento da neurociência e da física quântica, a revolução holística não teria acontecido, bem como a quebra definitiva do muro entre corpo e mente, que deveriam ter um único nome composto: corpo-mente.

De acordo com algumas pesquisas, os estados emocionais que mais beneficiam o coração, muito mais que qualquer alimento ou atividade física, são:

  • Empatia: capacidade de percepção da dor ou sentimento do outro com respeito à sua verdadeira história;
  • Compaixão: motivação de propagar a benevolência;
  • Perdão: libertação de antigos ressentimentos e mágoas;
  • Sacrifício: colocar o bem de outra pessoa acima do nosso em necessários momentos;
  • Devoção: que inspira respeito a valores mais elevados.

Todos esses estados possuem relevância e consequências médicas, mas nenhum deles faz parte do vocabulário da cardiologia, o que reforçaria muito o valor curativo do amor.

Paula Gribel

Paula Gribel

Co-fundadora da Aldeia e especialista em Medicina Integrativa e Sistêmica, há 21 anos desenvolve um trabalho que interliga técnicas em prol do equilíbrio nutricional, físico, emocional e energético, já tendo realizado mais de 30 mil atendimentos em seu consultório.

Deixe uma resposta